terça-feira, 3 de dezembro de 2013

PALAVRAS ROUBADAS



Hoje eu estou em busca das palavras
Não fujam
Onde vocês se esconderam?
Nas ruas, avenidas, praças... Em todos os lugares...
Onde eu procuro não as encontro
Cadê as palavras obscenas?
Que teimam em ficar presas na minha garganta!
Mesmo quando o seu corpo
Desliza sobre os lençóis
Não vejo as palavras de ontem
Que foram ditas aos quatros ventos
Revelando os segredos obsoletos de hoje
Quem foi que roubou as minhas palavras?
Hoje eu preciso mais do que nunca
De qualquer palavra...

(Manoel Hélio)

Um comentário: